Lula: o crepúsculo esquizofrênico de uma vida

05/06/2012 02:32

Antonio José de Pinho*

 

Para mim, nas últimas semanas, nada é mais patético do que ver a figura de Lula, careca e com seu bigode ralo, em virtude de seu tratamento contra o câncer da laringe. Sua figura abatida denuncia uma vida em seu crepúsculo. Porém, parece que Lula ainda não se deu conta de sua tragédia pessoal. Ele morrerá, não sei quando, e entrará para os anais da história do Brasil como o presidente do governo mais corrupto da república. Nada é mais certo que isso, em se tratando de política brasileira.

Lula não caiu em si, o que não é de se espantar. Admitiu, na entrevista que deu ao Ratinho, que quer ser candidato à presidente, nas próximas eleições. Isso já era mais que evidente quando Dilma foi ungida pelo Chefão todo poderoso do PT, para ocupar interinamente a cadeira presidencial, até a volta triunfal do messias sindicalista, na qual ele sonha governar por mais 8 anos, tempo no qual preparará um novo líder carismático e comunista para assumir o Brasil.

Nos anos 80, o PT já tinha claramente o plano de chegar a qualquer custo à presidência do Brasil, e uma vez lá, nunca mais aceitariam sair, governando a nação até o apocalipse. Depois de sua aliança definitiva com Fidel Castro, com a fundação do Foro de São Paulo – o Bilderberg latino-americano –, no início dos anos 90, o roteiro da tragédia já estava escrito.

Na entrevista que deu ao Ratinho, Lula falou sem medir palavras: “Não vou permitir que os tucanos voltem ao poder”. Como assim ele não vai permitir?  Quem é você agora, Lula? Você é só mais um cidadão, com direitos totalmente iguais a mim ou a qualquer cidadão. Quem vai decidir se a direita vai voltar ao poder nas próximas eleições é o povo, e não você.

Isso é mais que óbvio. Mas o Chefão está desesperado, está “atirando para tudo que é lado”, como diz a sabedoria popular. Inventa uma CPI para destruir a oposição, e pressiona o SFT, tudo para impedir o julgamento da quadrilha do senhor José Dirceu e Cia.

Não vejo o porquê de tanta preocupação de Lula com a oposição atual, ou com o PSDB, para ser mais claro. A oposição tem tido, nos dois últimos anos, uma atuação muito tímida, para não dizer inaudível. O máximo que conseguem é 5 segundos de uma declaração do senador Álvaro Dias, no Jornal Nacional, e mais nada.     

Precisados de uma ação mais dura por parte da direita. Qualquer jornalista investigativo, com o apoio de uma grande revista ou jornal conservador, que se concentrasse em investigar as relações entre o PT e a construtora Delta, iria revelar a nação um escândalo de proporções bem maiores que o mensalão. Basta fazer um pouquinho de força, levantar o tapete, que a sujeira sairá por conta própria, e mostrará a todo o Brasil a verdadeira face podre do PT e do governo Dilma.

Mas enquanto a democracia brasileira é desmontada aos olhos de todos, para a instauração de um comunismo ao gosto de Hugo Chávez, a direita nada faz de concreto. A missão dos conservadores, neste momento, é salvaguardar a democracia e a liberdade de expressão. Para tanto medidas mais duras devem ser tomadas, para que um governo conservador suceda Dilma daqui há dois anos e meio.

Diante do crítico estado de coisas que enfrentamos hoje, sobra uma esperança: saber que Lula, estando “mais pra lá do que pra cá”, não vai ter condições para governar por mais 8 anos.  

Ufa! Ainda bem...      


*É Mestre em Linguística pela UFSC, Bacharel em Letras, e cronista - http://www.cibercronicas.blogspot.com/

http://juventudeconservadoradaufsc.blogspot.com.br/