Filho de vítima de Battisti pede boicote à Copa no Brasil

09/06/2011 23:31

 

 

"Deve ser interrompida a relação econômica com um país que não respeita vítimas inocentes de outro Estado", disse Franco Maccari.

Agências - 9/6/2011 - 22h49

O italiano Bruno Berardi, filho do marechal Rosário Berardi, assassinado em 1978 pelo grupo armado de extrema-esquerda Brigadas Vermelhas, criticou pesadamente a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de não extraditar e libertar o ex-ativista Cesare Battisti. Berardi pediu que, em represália, a Itália não participe da Copa do Mundo de 2014, que será no Brasil.

"O governo italiano deve retirar a participação da seleção italiana da Copa do Mundo de 2014 e de outros eventos semelhantes. A Itália também deve interromper relações comerciais com aquela nação", disse Berardi à imprensa italiana, indignado após a votação no STF.

Em uma enquete feita pela edição online do jornal italiano Corriere della Sera de ontem  (9), um total de 80% dos internautas disse concordar com a proposta de Berardi de boicotar a Copa de 2014.

O secretário-geral do Sindicato dos Policiais Italianos, Franco Maccari, também pediu a interrupção da relação comercial entre os dois países. "Deve ser interrompida imediatamente qualquer relação de natureza econômica com um país que não respeita as vítimas inocentes de um outro Estado, tornando-se, assim, cúmplice de um assassinato".

No Brasil, senadores se revezaram ontem na tribuna para manifestar seu descontentamento com o desfecho do caso Battisti.

Para Luis Roberto Barroso, advogado do ex-terrorista, no entanto, a Itália extrapolou limites. "A Itália precisa aceitar a decisão soberana do Estado brasileiro". Segundo ele, o caso só será levado para corte internacional se Brasil

Fonte: http://www.dcomercio.com.br/materia.aspx?id=70716&canal=21